Mensagem 009

A necessidade que sentimos em adiar nossa reforma interna esta diretamente ligada à ação hipnótica que a matéria exerce sobre nós.

Uma vez recolocados no plano da matéria, nos encantamos pelas ricas possibilidades que esse plano possui.

Acabamos, na maioria dos casos, nos desviando de tudo aquilo que programamos em nossa missão e passamos a encarar a estada no mundo da matéria como principal e único objetivo de nossas vidas. Gravamos aquilo que aprendemos na escola terrena como meta verdadeira. O ser vivo nasce, cresce, reproduz e morre. E então, a maioria de encarnados procura viver pequeno e resume sua breve existência encarnada, na busca desenfreada pelo sucesso pessoal e material, sob a desculpa de preparar uma vida melhor para os seus descendentes, legando a eles a única herança que consideram válida. A herança na e da vida material.

Na maioria das vezes, esse pensamento é respeitado e muitas encarnações se vêem desperdiçadas.

Mas, nem sempre há tempo e é quando se coloca a pedido na maioria das vezes do próprio, alguns sinais de alerta, tais como doenças físicas, situações de aflição financeira, para que, sacudidos de sua estada terrena tranqüila e infrutífera, se vejam na necessidade de mudar de atitude, perceber a grandeza e perenidade da alma e finalmente compreender a vida terrena como abençoada escola, de aprendizado necessário e fundamental.

Podemos adiar, mas não evitar. Podemos retardar esse aprendizado, mas ele deverá ocorrer, com menores ou maiores dificuldades, e essas difulculdades, nós as mensuramos.

Muitas vezes se diz: “A ignorância salva!” E nós completamos: “Mas não evita que se tenha que chegar ao esclarecimento!”.

Por que podemos ignorar por um tempo, mas não indefinidamente. Podemos ser conformados por um período com a nossa ignorância, mas nossa essência nos impulsiona na direção do aprendizado e uma vez sabedores, receberemos cada vez mais responsabilidades que devemos abraçar.

O ser humano engatinhou por um longo período, mas a grande maioria agora caminha na direção dessa Nova Era, de novos aprendizados, com mais responsabilidades, mas também com mais felicidade. Porque aquele que aprendeu e apreendeu sabe que quando mais demorar a seguir, mais distante se fará da sua felicidade.

Nessa Nova Era da humanidade, nem todos estarão esclarecidos para segui-la. “Muitos os chamados, poucos os escolhidos”. Pois nessa nova caminhada, não bastará apenas saber, será preciso que se tenha feito realmente a reforma interior.

Que Deus possa estar com todos aqueles, que sabem que descobriram o caminho, mas principalmente possa estar com aqueles que fazem força em continuar ignorando a caminhada, para que possa exaltar em seus corações a busca de cada um em sua reforma interior.

  Otávio

 

 Voltar