Platão

  (429 a.c. – 347 a.c.

    Nasceu em Atenas em 429 a.c. Filho Ariston e Perictione, seu verdadeiro nome era Aristoclés. Tornou-se aprendiz de Sócrates aos vinte anos. A acusação, o julgamento e a morte do mestre marcaram toda a sua vida. Viajou muito. Foi ao Egito. Esteve em Esparta, onde conheceu os costumes militares e na Itália, onde se encontrou com os pitagóricos. Retornando à Atenas, aos quarenta anos, fundou sua famosa Academia, onde se estudava Matemática e Filosofia.

    Sua produção é vasta  e em seus ensinamentos, Sócrates era utilizado (como se o mestre estivesse falando) para expor seus pontos de vista. Seus escritos, em torno de trinta, eram apresentados em forma de diálogos, o que facilitava a compreensão de suas idéias. Os mais conhecidos são Fédon, Górgios e com certeza, o mais importante, A República, que é um tratado completo, onde Platão foca um sistema de governo e de vida ideal e a melhor maneira de chegar até eles. A sociedade ideal de Platão é uma aristocracia meritocrática, com uma classe dominante escolhida entre os mais capazes, de todas as origens e de ambos os sexos. Na sociedade platônica estão presentes suas quatro virtudes cardeais, a sabedoria (o rei-filósofo), a coragem (o soldado), a temperança (o plebeu) e a justiça (o próprio Estado).

   Platão, que foi um filósofo que não  influenciou apenas os homens de seu tempo, mas também, é referência de muitos pensadores modernos, morreu em Atenas, em 347 a.c.